CORREÇÃO FGTS 1999

16/10/2013

Desde 1.999, o FGTS dos trabalhadores brasileiros, está sendo corrigido de maneira errada, sendo que o confisco na correção chega a 88,3%.

Só nos últimos dois anos, somam aproximadamente 11% de perda, na correção, em razão da manipulação da Taxa de Referência (TR), aplicada na correção do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) pela Caixa Econômica Federal, assim, as perdas chegam a 88,3%, devido à correção errada da TR.

Por exemplo, um trabalhador que tinha R$ 1.000 no ano de 1.999, tem hoje com a correção errada da TR apenas R$ 1.340,47, sendo que os cálculos corretos indicam que a mesma conta deveria ter R$ 2.586,44. Isto é: uma diferença de R$ 1.245,97.

Em 2000, a inflação foi de 5,27% e a C.E.F. aplicou 2,09% nas contas; em 2005, a inflação foi de 5,05% e aplicaram 2,83% nas contas; em 2009, a inflação foi de 4,11%, e as contas receberam só 0,7%. Desde setembro de 2012, a correção das contas fundiárias tem sido de 0%.

Portanto, todos os trabalhadores, inclusive, os aposentados podem recorrer a Justiça para correção dos depósitos da conta do FGTS.

Para ingressarmos com a ação, os trabalhadores e aposentados precisam apresentar cópia do C.P.F., R.G, Carteira de Trabalho, comprovante de residência e o extrato analítico do FGTS emitido pela C.E.F.